Tradição

Esse Henê eu nunca tinha comentado aqui, putzzz eu esqueci geral de fazer matéria dele, sempre quando eu vou em perfumaria eu o vejo eu falo: – Ahhh, tenho que colocar esse henê no site…. Ae hoje eu fui comprar xampu e vi ele, fiz uma notinha no celular pra lembrar. ..

Olá, você usuária de Henê, Maru ou não. Já percebeu que as emabalagens dos henês( e cosmectica em geral) vivem mudando?

Pois é, tem uma empresa que mantém seu mesmo encarte desde 1964.

É normal as empresas mudarem suas propagandas, rótulos e embalagens. Isso serve para avançar a concorrência, ou para reformulação do produto.

Mas a empresa de Coutinho, mantém a mesma embalagem do Henê Maru desde 1964.

O Henê Maru foi criado em 1964, com uma embalagem laranja e com um desenho que faz lembrar a cantora Eliane Pittman.

*********************************************************************

“Tentamos mudar duas ou três vezes, mas o produto encalhava porque as clientes pensavam que era falsificado. A fórmula também praticamente não mudou nada”, diz Alvaro Coutinho, 75 anos, que fundou a Maru com trêsirmãos e agora toca sozinho a empresa. “Chegamos a vender 450 000 unidades por mês do henê no fim dos anos 70. Hoje, não passa de 50 000”, informa. A fórmula do Henê Maru (“Henê vem de hena; Maru era o cachorro do meu irmão”) foi passada aos Coutinho por “um alemão” no interior de Minas Gerais, onde nasceram. A família mudou para São Paulo e o negócio se expandiu, chegando ao apogeu quando passou a patrocinar os programas dos apresentadores Chacrinha e Bolinha. Atualmente, a fábrica de cinqüenta funcionários produz cerca de quarenta cosméticos e o Henê Maru perdeu o lugar de carro-chefe para os esmaltes e removedores Casco Cavalo e Óleo Banana. Assim, sem preposição, para não dar problema com a fiscalização, visto que não têm relação alguma com casco de cavalo ou com banana.

Links:

http://www.maru.com.br/?pagina=info_produto.php&id=17&titulo=linha%20capilar%20>%20tratamento%20capilar&subcategoria_id=15

Matéria Veja, vinculada em 2/2007

http://veja.abril.com.br/070207/p_110.shtml

Anúncios